Ao João Bueno – Ao João de Barro – Dra. Ângela Augusta Lanner Vieira – Jornal Opinião de Viamão – 25 Janei ro 2012

Publicado na coluna Crônicas & Agudas do Jornal Opinião de Viamão em 25 de Janeiro de 2012

Mensagem da doutora Ângela Lanner Vieira que solidariamente publicamos.

“Ao João Bueno

Ao João de Barro

A todos os homens simples que tornam a vida um movimento de Ser.

Pretendia para si o melhor dos dias, sonhava apenas com o Ser, mas como o ser? Para ele afinal Ser era tudo. Seria poder se sentir de um jeito quase inexplicável, algo assim como estar em si, estar cheio de si, estar sabendo o que é e estar conforme com isto. Enfim que palavra empregar para explicar o que ele desejaria, o que tinha dentro, o que imaginava que seria Ser, simplesmente Ser.

Enquanto se debatia com o que pretendia com sua existência soube da morte de um homem simples, construtor de casas, um homem chamado João, um verdadeiro João de barro, uma destas criaturas que quando morre, todos morrem um pouco junto. Como pensar no que se pretendia ser e ao mesmo tempo pensar na perda do João. Que coisa tão absurda construir dentro de si a ideia do Ser e agora a notícia inexorável do não Ser. Como fazer poesia ou pensar a vida frente a tão implacável fato, este de deixar de existir (o não Ser). Vida e morte, Ser e não Ser se debatem deixando um estranho sentimento de nada, de para que, de afinal?

Havia um projeto e havia também um fato, um homem chegava ao fim e junto com ele todo um jeito de Ser e de Fazer. Já não tínhamos mais o nosso João de Barro. Quem agora iria olhar para o nosso telhado e perceber que um desalinhamento leve seria ameaçador na próxima tempestade? Quem iria se propor a retirar as raízes invasoras de nossos esgotos? Quem iria entrar em nosso lar, caminhar sem deixar marcas e refazê-lo de um jeito suave e limpo? Não havia em nossa imaginação mais ninguém a pensar. João tinha se ido, tinha nos sido roubado dolorosamente. Deixou a simplicidade, abriu mão da terra. Suas mãos endurecidas e calejadas pelas ferramentas que constroem e moldam no barro, na pedra e no ferro não estão mais aqui. Já não podem acariciar a madeira, segurar o lenho e sentir seu desejo de direção. Já não podem amaciar a aspereza do tijolo e transformá-lo em superfície deslizante para o aconchego de nossas costas. Já não dobram o ferro ao nosso desejo conferindo a forma apropriada de nossa roupagem.

Nasceu, existiu e se foi na simplicidade. Muitos não teriam sentido sua ausência não fosse o seu Ser, não fosse o que forjou e construiu em si mesmo, valores de solidariedade, sinceridade, comprometimento e confiabilidade.

João, não sei onde buscaremos outro João de barro, outro homem simples, destes que pouco temos e que muito precisamos para sentir que a vida vale a pena quando a forjamos sobre temperos simples e marcados, como estes que tu nos mostraste com tuas passadas sólidas e pesadas, com tuas mãos fortes e calejadas, com teu espírito firme.

João, que tenhas continuidade e que possamos nos encontrar um dia para que juntos possamos apreciar os Joãos de Barro, bico a bico carregando e forjando as suas moradas.” – Dra. Ângela Augusta Lanner Vieira – Médica Homeopata.

Dr. Edson Olimpio Silva de Oliveira

Médico – Cirurgião

Cronista Jornal Opinião de Viamão

Visite:

https://edsonolimpio.wordpress.com

http://ad76medcat.wordpress.com

BOAS FESTAS – Sabrina e Marcelo Dalbelo

Enviada em: terça-feira, 10 de janeiro de 2012 16:44
Para: Edson Olímpio
Assunto: RE: BOAS FESTAS – CLEDI E EDSON OLIMPIO OLIVEIRA

Olá, Seu Edson e Dna. Cledi!!

Obrigada pela lembrança e um lindo ano de 2012 pro senhor e toda a sua família!

Muita saúde e paz no coração!

Beijos,

Samantha, Marcelo, Sabrina e em breve o Nícolas

BOAS FESTAS – Dulce Beatriz Berbigier

Enviada em: terça-feira, 10 de janeiro de 2012 23:35
Para: Edson Oliveira
Assunto: RE: BOAS FESTAS – CLEDI E EDSON OLIMPIO OLIVEIRA

Obrigada Dr. Edson.

O mesmo desejamos ao Sr.e família.

Que o Grande PAI nos ilumine.

Pequena reflexão poética – Poetisa Lúcia Barcelos

XwKD-19J.gif?height=400&password=rdUhGBvfXE&scale=max&width=400

Isso é uma espécie de reflexão poética, com carinho:

Estepe

Em tudo, tudo,

temos que buscar consolação,

buscar o que faria sentido

além do que sentimos!

Lutar pela ausência da idade,

andar pela mão da saudade

pisando na própria sombra que nos persegue.

E o vento que carregue

o pó, e os nossos temores de mortais

para a Terra do Nunca Mais

alguém terá desgostos.

E temos que refazer nossos rostos

a cada manhã,

e transpor as barreiras da memória.

Cegamente semear a história

com status de personagem.

Haja coragem…

Haja coragem

para descuidar-se do tempo!

Busquemos o peso do sol

e nos acumulemos de calor…

De luz…

De estepes de amor!

Lúcia Barcelos

BOAS FESTAS – DR. ILDO DA ECOCLÍNICA

Enviada em: quinta-feira, 5 de janeiro de 2012 13:54
Para: Edson Oliveira
Assunto: Res: BOAS FESTAS – CLEDI E EDSON OLIMPIO OLIVEIRA

Querido Edson e Cledi

Bastante saude para voces em 2012 para voces curtirem as vitorias que virão.

Abracos

Ildo

ANO NOVO – DRA. BERNADETE KURTZ

Enviada em: terça-feira, 3 de janeiro de 2012 11:58
Para: Dr. Edson
Assunto: RE: Livro

Caro Dr. amigo! Espero que goste tanto quanto nós gostamos do livro Quando li o livro,lembrei logo do nosso médico! Agradecemos as belas palavras ( nada como ter um médico literato), e desejamos um 2012 com muita saúde, e possa continuar distribuindo a sua medicina tão eficiente e humana!

Um abraço, Felker e Bernadete

BOAS FESTAS – DRA. LILIAN ABRÃO

Enviada em: terça-feira, 3 de janeiro de 2012 13:39
Para: Edson de oliveria Oliveira
Assunto: RE: BOAS FESTAS – CLEDI E EDSON OLIMPIO OLIVEIRA

Obrigada pelo carinho e atenção…

Um ano repleto de saúde, paz, amor e união!

abraço

Lílian e Alex

Entradas Mais Antigas Anteriores