O governo Bonatto – André – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 24 Outubro 2012

24 Outubro 2012 – O Governo Bonatto-André – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

O governo Bonatto – André

C

omo será o governo Bonatto – André? Todos querem saber. Cogitações de toda ordem, indicações não faltarão. Há uma fome contida de muitos anos na oposição e o líder do governo terá de ter a capacidade de frear alguns e apaziguar outros. Generalizando e deixando as especulações de lado – poderá constituir um projeto de governo ou um projeto de poder. Qual a diferença? Num projeto de poder o partido dominante usará de todos os artifícios éticos ou ilegais para perpetuar-se. O projeto de governo estabelece uma visão ampla e outra mais focada sobre as dificuldades e deficiências da cidade e do seu povo e estabelecerá planos bem elaborados de correção e melhoramentos, tendo a capacidade de inovar e assessorar-se de pessoas compromissadas com a qualidade, com metas pré-estabelecidas e acessíveis ao claro escrutínio do povo.

Cr & Ag

O projeto de poder é autolimitado e futuramente estará um povo submetido e corrompido pela gaiola ideológica dominante, pobre e miserável, longe da propaganda oficial, tudo para que o poder e os poderosos perpetuem-se. Infelizmente essa é a mentalidade de muitos de nossos políticos e governantes e, por descendência, do povo que o gerou. A síndrome do emprego público em que as pessoas entendem que devam ter as benesses de uma estabilidade funcional e sem metas de produtividade e qualidade está enraizada em muitas mentes e aproveitada pelos dominantes. Assim como a democracia é o melhor regime político criado pela humanidade, o capitalismo ainda é o melhor regime econômico para que a pessoa evolua pelos seus méritos e busque com plena liberdade o melhor emprego ou a melhor atividade profissional para si e a felicidade para sua família e sociedade.

Cr & Ag

O projeto de governo nasce de visão e disciplina. Então, jamais o loteamento fisiológico dos mais decisivos cargos trará sucesso e realização. O caminho entre o sonho e a vontade e a realização passa sempre pela disciplina. Um professor e dono de escolas como prefeito terá essa visão da disciplina. Retire a disciplina da sala de aula e do perímetro escolar e teremos o caos ou isso aí que denominaram “escola lúdica”. Um empresário e advogado conhece as dificuldades que passam quem se arrisca abrindo uma empresa e dando empregos, renda e vida para pessoas e famílias e sendo acossado por uma fiscalização que muitas vezes quer lhe destruir dentro da ideologia retrógrada e perversa de que patrão e operário navegam em barcos diferentes, como se ainda estivessem no século XIX. E como advogado a disciplina de cumprir prazos ditatoriais ou… fracassar profissionalmente.

Cr & Ag

Há que ter a habilidade, a coragem e o discernimento do bom cirurgião e indicar bem e operar melhor para que o paciente-povo tem um melhor desfecho. Diz-se que Viamão tem um povo que por pouco se satisfaz e que dada a essa população heterogênea até dentro das vilas não precisa ser um gênio para flagrar as mais prementes necessidades. – Tem que achar a bunda certa para a cadeira certa! – dizia um veterano da política. De outra forma, a mais apta cabeça, ou ainda, a mão certa para a caneta certa. Alegam os mais próximos que “o futuro prefeito é homem de opiniões e de decisões, que não tem espinhaço de minhoca”. Há que ser determinado sem perder a flexibilidade. Há que olhar e intuir e jamais relaxar com a coragem e… a disciplina. Estabelecer projetos e metas e exigir o fiel cumprimento.

Cr & Ag

Pode parecer paradoxal, mas um projeto de governo ajustado e bem realizado é o melhor caminho para que os governos e seus atores públicos permaneçam e sejam sempre lembrados por suas qualidades e muito pouco por seus defeitos.

Anúncios

Fogo amigo & Méritos – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 17 Outubro 2012

17 Outubro 2012 – Fogo Amigo & Méritos – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

Fogo Amigo & Méritos

– O

Bonatto ganhou e o Alex perdeu! – diziam vozes em coro juntando euforia e desague de emoções reprimidas por longos 16 anos de insucessos na eleição para prefeito. Inúmeras são as causas de sucesso ou de insucesso – em tudo na vida. Permita-nos observar algumas. Iniciemos pelo “fogo amigo”. A expressão “fogo amigo” pode ser o suspiro de regozijo do assador cuidando dos seus espetos com belas picanhas e costelas ao espeto, mas nosso caminho é outro e vem da terminologia militar. Quando a infantaria estava em inferioridade ou em “maus lençóis” solicitava para a artilharia (canhões ou morteiros) ou para a aeronáutica que realizasse disparos nos inimigos. Eventualmente os aviões e os canhões erravam o alvo inimigo e acertavam os obuses e até o famigerado “napalm” nos companheiros. Matavam e feriam amigos e aliados.

Cr & Ag

O prefeito Alex sofreu do “fogo amigo” explícito e pelas costas de muitos petistas insatisfeitos com isso ou aquilo. Estando no cerne que falta bolo para tanta boca. A governabilidade do lulismo exige quarenta Ministérios e centenas de milhares de cargos para os amigos e seus cooptados. Assim acabaram os partidos reais e ficou essa politicopatia entronizada em siglas abjetas ou de aluguel. Pois Viamão está dentro da conjuntura brasileira com eleitores e políticos que de uma região para outra não tem nenhum interesse além do poder e do local, assim como no Brasil. Ou alguém acha que norte e nordeste e sul e sudeste buscam os mesmos fins? Diversos petistas de carteirinha vinham falando e mal do prefeito Alex. Lembram-se da alegoria do palhaço incendiando o circo? Estava mais fácil para eleitores não vinculados verem vantagens no governo atual do que muitos petistas e inclusive CCs, apesar de alguns estarem com o leite escorrendo pelos lábios.

Cr & Ag

E o Robson? Pois é, quem é o Robson? Está pergunta varou toda a campanha. Certamente se o candidato fosse alguns dos petistas que aí estão no legislativo e expostos há vários anos, essa pergunta nem existiria. A imagem e a pessoa do Robson não chegaram a muitos eleitores, votavam na imagem e na pessoa Alex ou no PT. Ou rejeitava-se. Certamente que os desgastes de longo tempo na prefeitura criaram fissuras e feridas dolorosas para todos os lados, inclusive no lado interno. A logística das oposições instrumentou e atiçou essas dissidências. Não creio que mensalão e o abraço de Lula-Maluf tenham realmente influído muito no escore viamonense. Os outros opositores estavam na vitrine e na janela a longo tempo. Bonatto é um veterano na política, daqueles que sabem se a barriga está grávida ou se é só vento trancado e o vice André vêm caminhando e buscando o melhor estilo Ridi ou Chico Gutierres por todos os recantos do Viamão. É o velho trabalho de formiguinha que rende votos sempre.

Cr & Ag

A campanha Bonatto-André foi mais intensa e massiva do que dos demais concorrentes. Estava mais para o time do Grêmio com a faca entre os dentes e sangue nos olhos do que para o Internacional da “zona de conforto”. “É tudo ou nada, “vamo-que-vamo”, é agora ou agora.” Podres na sarjeta eleitoral e “ferro na boneca”. O “novo” e a “mudança” moviam corações, inclusive os empedernidos. O voto útil achou seu melhor caminho – “vamos de Bonatto pra mudar e não vamos nos outros porque ali não se ganha eleição”. Gaúcho gosta muito de cavalo com ares de vencedor e não aposta em cavalo paraguaio. A importância da militância sempre foi fundamental ao petismo, nessa campanha viam-se militantes propagando seu vereador e não seu prefeito. A militância de Bonatto-André estava mais integrada e focada. Lado a lado nos cruzamentos via-se a diferença ao agitar as bandeiras. Méritos aos vencedores e ensinamentos para todos. Voltando à analogia do futebol – que a torcida queira o melhor para o seu time (Viamão) e não a sua desgraça por ser contrária ao técnico (prefeito). Que Viamão seja cada dia melhor para todos! Parabéns e feliz administração Bonatto-André e seus apoiadores!

Participe:

Médicos sem Fronteiras

www.msf.org.br

0800 941 0808

Com a boca no trombone – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 10 Outubro 2012

10 Outubro 2012 – Com a boca no trombone – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

Com a boca no trombone

A

ntes que alguns mais afoitos e com os nervos a flor da pele vejam alguma conotação sexual na antiga expressão título, peço-lhes que se acalmem e sosseguem seus leões. Também aviso que por prazo de entrega de matéria ao jornal essa magnífica crônica é escrita sem o conhecimento dos resultados eleitorais. Há que ter “nervos de aço”, aproveitando a lembrança da música do Lupicínio. Campanha eleitoral pode ser como as campanhas napoleônicas, longas, sangrentas, dolorosas, defuntos anônimos e mortos ilustres, cadáveres irão pavimentar a subida dos vitoriosos, o porre eleitoral é infinitamente maior e mais devastador do que o etílico – para muitos. A célebre fábula da raposa que desdenha as uvas que não consegue tomar será muito aplicada – “concorri só pra ajudar o partido”. Mentiras deslavadas confundem-se com verdades transitórias. Grandes e intensas amizades irão soçobrar como caravelas nos rochedos traiçoeiros da vida. Desconfianças! Muitas. Certezas – “me engana que eu gosto”. Cortejos de bajuladores e ferozes baba-ovos disputarão os vencedores. Carpideiras acompanharão os derrotados.

Cr & Ag

“A derrota ensina tanto quanto uma crise hemorroidária” – T. Jordans, o Filósofo do Apocalipse. Nem sempre é verdade, a ilusão é irmã da cegueira tal qual o turco Nacib, personagem central da novela Gabriela. Mesmo ao flagrar a sua mulher na cama com o asqueroso Tonico e ao anular o casamento real, já prega aos quatro ventos de que “não é corno”, pois os papéis falsos nada valem. Assim é a idiotia da vida e da política, um tratado de psiquiatria, que talvez nem tudo Freud explique. Um tapete de santinhos de candidatos revestem as ruas de acesso ao local de votação. O pisoteio real e o pisoteio psicológico retratam agruras. – Tenho algo de bom? – indaga-me o atilado leitor. Muito de bom. Há que elogiar e enaltecer quem oferece a face e até os glúteos para baterem, principalmente se o faz por um dever cívico real e não malufista, sarneista ou até lulista. Orgulhem-se quem tem um ou mais projetos de reais melhorias das gentes de sua terra e não pelo poder e tudo de mesquinho que ele representa.

Cr & Ag

Um médico amigo e histórico do Partido dos Trabalhadores desfilhou-se (sic) motivado ou desmotivado que ficou com “a união de Maluf e Lula”. Certamente outros motivos derrubaram sua paliçada ideológica. O mensalão expõe o chefe dos chefes, mas não lhe amputa nenhum poder. Esse trombone é soprado pela dignidade restante daqueles que ainda lutam por uma democracia mais limpa e livre do feudalismo e do populismo latino-americano. Que seja um trombone de vara e que a “vara” pegue para valer. Dizia um candidato em campanha na entrada do Banrisul: – Quando chegarmos à Prefeitura vamos tocar o trombone bem alto, tem muito mensalão aqui em Viamão e o povo precisa saber! – o povo na calçada sorria, alguns e franziam o cenho outros. Outros ainda atiçavam mais o quase discurso inflamado. Ódios e rancores, vencedores e derrotados esse é o legado de campanhas eleitorais e bélicas. Também é o espírito da democracia que permite a alternância do poder e a purificação lenta, mas inexorável, dos atos e dos desatinos. Agradeçamos não estarmos numa Coréia do Norte ou numa fantasiosa Cuba.

Cr & Ag

Amigos agradecem que o peso da idade não os obrigue a votar. Outros jamais abdicam desse direito intrínseco do homem e mulher livre de tentar escolher aqueles podem representa-los preparar o caminho de uma sociedade melhor para eles ou melhor para todos. Inclusive para aqueles que ainda acreditam e oram pelas ditaduras de direita ou de esquerda. A luz ainda chegará a seus espíritos sombrios ou ludibriados. Que todos possam aspirar e tornem-se “elite e burguesia” por seus méritos e por muito trabalho honesto.

Homenagem ao Dia do Médico

De: AMRIGS [mailto:newsletter@amrigs.org.br]
Enviada em: quarta-feira, 17 de outubro de 2012 18:05
Para: edsolimpio@hotmail.com
Assunto: Homenagem ao Dia do Médico

medico2012.jpg

Dia do médico

De: newsletter@ecoclinica.com.br [mailto:newsletter@ecoclinica.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 17 de outubro de 2012 06:01
Para: edsolimpio@hotmail.com
Assunto: Dia do m�dico

logo_cabecalho_e.bmp
newsletter_dia_medico20copia2.jpg
rodape_131010021103.bmp

leunews.php?hash=bef119bb28cc2ffdc3c44ff99616b305&email=edsolimpio@hotmail.com

DIA DO MÉDICO

De: JOSE ONOFRE SAIKOSKI DA CUNHA [mailto:josesaikoski.advogado@brturbo.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 19 de outubro de 2012 09:33
Para: Viamão – 1a. Capital de TODOS os Gaúchos!
Assunto: DIA DO MÉDICO

Bom dia, querido Amigo, Compadre e Médico.
Antes de tudo queremos que tenha ótimo dia com saúde e em paz.
O anexo diz tudo a teu respeito e sobre essa maravilhosa profissão.
Parabéns pelo dia do Médico, parabéns pelos milagres que tu operas todos os dias.
Como antes dito, o anexo expressa com mais clareza o que sentimos.
Parabéns.
José Onfre

Dia do Médico – Homenagem da AMB

De: Associação Médica Brasileira [mailto:comunica@amb.org.br]
Enviada em: quinta-feira, 18 de outubro de 2012 00:04
Para: edsolimpio@hotmail.com
Assunto: Dia do Médico – Homenagem da AMB

diadomedico2012.jpg

Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele sua inscrição neste link

registra_exibicao.php?id=31089|146890|1383

Entradas Mais Antigas Anteriores