De frente para a desgraça – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 23 Janeiro 2013

 

2013 – 01 – 23 Janeiro 2013 – De frente para a desgraça – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

De frente para a desgraça

Há momentos em que estamos tão assolados pelo infortúnio, tão doloridos pelos golpes da existência que parece que o inferno é aqui mesmo. Há quem assim acredite e propague com razões, por vezes, de difícil dissuasão. Há quem evite assistir aos telejornais principalmente nos horários de refeição justamente por ter que engolir sofrimentos em doses paquidérmicas. Há quem sabiamente desliga equipamentos eletrônicos nestes horários de convívio e de confraternização familiar ou de amigos. Infelizmente aumentam esses números de viciados na eletrônica de um big brother sem fim, não se desconectam dos smartphones e das ditas redes sociais. Estão nas redes sem se darem conta do enredo, do enredamento das relações e das suas vidas. Há filhos que somente se comunicam com os pais pelo twitter ou facebook. Pode? Não deveria.

Cr & Ag

Há momentos em que nenhuma alienação intencional da sufocação do noticiário que não nos arremeta ao sofrimento extremo, a dor sem limites de “esquecer-se de um filho dentro de um carro fechado e logo encontrá-lo morto”. Outro dia essa desgraça derramou-se sobre um delegado de polícia do interior do Rio Grande do Sul. Acredito ser uma das mais brutais formas de dor e sofrimento que pode se abater sobre qualquer ser humano. A perda de um filho dessa forma é contra as leis da natureza e ninguém deveria ser contemplado por tão gigantesca perda. Na distância pranteamos em sintonia com o amor de humanidade que nos possui e alenta. E oramos. Oramos pela criança, pelo pai, pela mãe, pela família e por todos os responsáveis para que tal drama absurdo deixe de ser fato e torne-se uma cicatriz distante da existência, da vida de qualquer um e de toda a sociedade.

Cr & Ag

Labirinto viamonense

Um amigo que para ir ao supermercado Nacional (aquele das filas intermináveis e da ausência de caixas ativas) ou ao centro de Viamão deve ir até a sinaleira do Cocão e só então retornar vários quilômetros ao centro da cidade. Assim tem mais segurança ante aos inúmeros acidentes na travessia do Fórum novo. Indagou-me se conhecia dos planos da atual administração para retornar no mínimo ao estado anterior do trânsito com melhor e mais racional acesso às ruas e lugares. Disse-lhe um velho refrão: – estou contigo e não abro! Todos nós aguardamos alguns desesperadamente, um trânsito mais efetivo no perímetro urbano. Por vezes parece que estamos constrangidos entre rios ou mares como em algumas cidades, mas que a ERS 40 e a maldita e mal aquinhoada e abandonada ERS 118 representam algo assim, até parece!

Cr & Ag

Graduada em Direito na PUC

A jovem Elisa Cristina, filha do casal de amigos Sílvia e Antônio Ávila graduou-se em Direito no sábado passado na PUC de Porto Alegre. Infelizmente não pudemos estar pessoalmente no magnífico evento, mas novamente transmitimos nosso carinho e respeito aos queridos pais e um incentivo a jovem Elisa que com sua capacidade construirá um horizonte muito belo e luminoso. Sucesso. Saúde. Sabedoria.

O Tempo

El matador setembrina – Edson Olimpio Oliveira – Jornal opinião – 16 Janeiro 2013

 

2013 – 01 – 16 Janeiro 2013 – El matador setembrina – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

El matador setembrina – Série Verão Insuportável

Muito se fala e escreve sobre o perfil de certo “homo machus viamonensis” e sua insaciável devoção ao amor liberal e sem fronteiras passando pela rigidez de um Barbosa ao ecletismo de um Dirceu. Eis que vamos acompanhar um deles, que não é dentista, mas está em todas as bocas. Depois de um capricho nas melenas desce as escadas da barbearia. Mais um tapa na Coca Zero e mira a caixa d’água. De cima a baixo e solta um arroto desdenhoso entremeado pelo sussurro – Sou muito mais eu! Saca o celular da maçãzinha mordida: – É o Gogó? Tô sacando meu… Qual é a senha? – do outro lado uma voz de agente secreto atira: – Carcará, pega mata e come… – e nosso (meu não, de Viamão City!) latin lover caminha até a esquina da Feira Paulista joga o raibam (ou raibã?) para o telhado capilar e… pigarreia. Abandonou o cigarro desde que seu falecido médico tirou-lhe um litro de água da pleura e terminaram a noite jantando e enxugando várias cervejas no saudoso Velha Capital.

Cr & Ag

Voltemos um pouco no tempo. Nasce o sol e calor de fritar ovos de camelo, batem na porta do bunker das Águas Claras: – Acorda meu. O mundo não acabou. Pode sair! – e nada. Eis que grita de novo: – O mulherio tá te esperando e… – não deu mais tempo para nada, foi como um abre-te sésamo, a porta de aço reciclado do bunker abriu-se e aquele vulto barbudo e bem nutrido saltou à rua. A sua cola vieram cinco belas bonecas cobiçadas, uma de cada raça. Dizem que seria o melhor de cada raça e cota um, ou uma. Estavam internados no bunker esperando o final do mundo pelo calendário maia. – Como? Por que das meninas de todas as raças? – pergunta alguém aturdido. O homem pretendia repovoar o mundo depois que as águas baixassem, os vulcões se acalmassem e o Zé escapasse do julgamento do mensalão.

Cr & Ag

Aos curiosos e aos que visam proteger suas fêmeas, vamos traçar um rápido retrato falado, digo, escrito do sedutor viamonense. Tamanho do Magal. Pegada do Kleber Gladiador fora da zona de conforto. Papo do Lula e contracultura do FHC. Voz do saudoso Teixeirinha. Excitação de… de bispo. Retornemos à caçada do insaciável de alcântara. Rapidamente cruzou a praça, desviando pelas vielas da casa do povo e entrou de costas, empurrando a porta de vidro do barzinho. Todos os olhares lhe cobiçaram, principalmente os femininos. Como todo pistoleiro sentou-se numa mesa de canto com as costas à parede, pois sabem como é bala perdida e humor de corno. Pendurou a pochete na guarda da cadeira e largou os ray-ban na mesa para que o reflexo das lentes mostrasse a porta. Estudou o ambiente num relance. Seu interesse caiu em duas mesas e seis gatinhas. Três em cada mesa. Sacou logo o lance. Na mesa da direita estavam duas noivas do governo Bonatto e na mesa da esquerda era três viúvas do governo Alex.

Cr & Ag

Sarcasmo e deboche entre elas. Quem saía bebia samba com gelo derretido. Quem estava no partidor bebia champanhe de Rivera. A vida é assim, tristeza de uns e uma e alegria de uns e outras. Jamais se preocupou com as lutas políticas e seus divórcios, seu tatame sempre foi o lençol adornado de belas, ou nem tanto, flores. Eis que uma loura oxigenada com a Bety Buuu tatuada na perninha arrematada com fios dourados sorveu um gole de champanhe seduzindo com a longa língua passando do queixo até o nariz. Uma sensualidade de acordar múmia. Mas eis que a afro partiu para o deboche sungando a micro-mini-exígua saia jeans e cruzou as longas pernas malhadas numa chamada desafiadora. As presas sempre se oferecem ao predador, essa é a lei da selva urbana – pensou.

Cr & Ag

Encurtando o causo. O cara deu uma arrumada no equipamento, o que é uma manobra fatal e decisiva ao pré-combate, levantou-se e… abraçaram-no. Todas elas – repito para reafirmar a solidez dos fetos, digo, fatos. Contam línguas ferinas que o bunker fechou-se novamente e que certas e belas moçoilas somente apareceram depois dos ternos de reis. Estafadas, mas felizes. E ansiosas que o mundo nunca termine, pelo menos até o carnaval do Cantegril murchar na quarta-feira. E o histórico bloco Madrugada CCC ressuscitar!

 

Imagem9

Pinga fogo – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 09 Janeiro 2013

 

2013 – 01 – 09 Janeiro 2013 – Pinga fogo – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

Pinga fogo

 

Se você está me lendo já é um sinal de que escapamos do “holocausto maia, tanto do calendário como do deputado”, conforme escrevia em mensagem um colaborador. Como nem tudo que é legal é ético ou moralmente recomendável, a posse de José Genoíno na Câmara dos Deputados é pelo menos uma afronta ao tribunal superior, à moralidade e ao parlamento. Mais uma no caudal exposto do mensalão. Outras estão incubadas e logo virão a furo. Infelizmente. Mas mudando literalmente da mala para o saco, a expectativa dos viamonenses é imensa para o trabalho dos eleitos que romperam o império do PT em Viamão City. Vários (e)leitores solicitam informações e indagam das medidas que serão tomadas.

Cr & Ag

Cem dias! Deem esse prazo aos novos administradores para que respirem, conscientizem-se da situação deixada e assumam verdadeiramente o controle do sistema que tem rotinas instauradas há 16 anos e as mudanças são, por vezes, dolorosas. Não há parto sem dor, há nascimentos com analgesia. Que os projetos de governo jamais sucumbam antes os projetos de poder. Que as forças dos partidos jamais sejam maiores que as forças vitais da sociedade, sendo a coragem uma obrigação constante e jamais uma meta a ser perseguida. Coragem com disciplina e sabedoria. Há homens nessa empreitada aptos para as tarefas necessárias. Recebam a nossa paciência como seu presente inicial de ano novo e de governo. E que as oposições tenham dignidade e responsabilidade com a sociedade antes dos seus partidos.

Cr & Ag

Mais humor e menos dor! Estamos com algumas crônicas escorando o bom humor para esse verão sufocante, de estradas abarrotadas de carros, praias entupidas de gente e faltas de água e luz. O excelente colega médico cardiologista doutor José Luiz Vieira fez uma real e bem apanhada figura de imagem quanto às estradas e o morticínio nos acidentes. A popularização do automóvel que deixou de ser coisa de rico ou abastado ou de burguês, do dicionário comunista, virou artigo de consumo acessível há mais de três milhões de novos veículos por ano, excetuando caminhões, motocicletas, etc. Sua imagem: – Lembra-se do globo da morte? Presença obrigatória nos circos iniciou com uma motocicleta e hábil piloto realizando um looping mortal no seu interior. Logo a novidade precisava de mais emoção e colocaram duas motocicletas simultâneas. Não bastou e colocaram três e continua aumentando o número de motos sempre buscando o desafio e a possibilidade da desgraça anunciada. Um globo um pouco maior quem sabe. Sempre mais motos ou veículos. Assim estão as nossas ruas e rodovias, como um globo da morte.

Cr & Ag

Complementei sua ideia arrancando algumas barras de ferro do globo, como valetas e buracos da ERS 118, por exemplo. Resumo do drama – até está morrendo pouco, ficando poucos mutilados e estropiados diante do volume absurdo de veículos em rodovias absolutamente assassinas. E de motoristas despreparados e irresponsáveis. Deus deve ser mesmo brasileiro, já que muitos governantes somente aparentam ser.

Cr & Ag

Previsões para 2013! – Se você comer menos e gastar mais energia do que come, certamente esse será seu ano de emagrecer. Faça mais academia e menos comilança. Segunda – Se você gastar menos do que ganha, manterá seu saldo positivo e sobrará uma grana para investir ou curtir. Caso você queira manter ou aumentar seus gastos, trabalhe muuuito mais, evite mulher, bebida e carro e jamais durma fora de casa. Se nada disso funcionar, constitua uma empreiteira, arranje uma Rosemeri e trabalhe para algum governo. – Colaboração: T. Jordans, o Filósofo do Apocalipse.

Amor à música

Um amor à música

Ho Ho Ho Ho–Natal 2012–Edson Olimpio Oliveira

 

Natal 2012 – HoHoHoHo – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

HoHoHoHo

Mais um ano aproxima-se de seu final e melhor fechamento a humanidade não poderia dispor do que ter toda a simbologia, os ensinamentos, os exemplos e os entendimentos do Natal como a festa da chegada, as alegrias do início e a iluminação da humanidade pelo Ser mais magnífico que já andou por esse planeta. Antes e depois de Cristo, mas jamais sem Cristo. Cristo é o amor absoluto e pleno em forma humana, é o amor que se pode tocar, sentir, ver e ouvir. Mas o ser humano necessita do exercício de seus sentidos e precisava de algo visível e tocável, de algo representativo e mobilizador dos sentimentos e por outro lado a veia comercial inata ao homem manifestou-se e surgiu o Papai Noel.

Cr & Ag

Diversos escritores trouxeram o Natal para a imaginação vertida em palavras e imagens. Walt Disney desabrochou a vida mais iluminada contida ou reprimida nos corações mais duros e empedernidos nos seus personagens de revistas, filmes e parques. Tristes são as pessoas que não conhecem o Natal que podemos desfrutar na liberdade de ir e vir, na possibilidade de encantar e de ser encantado por presentes materiais ou do coração. Povos em conflito ideológico e religioso continuam a matarem-se numa sina interminável. Povos reprimidos pela dor da repressão armada e pela fome e miséria generalizada. Ou a vida sem trabalho digno e horizontes para aspirar e buscar seus sonhos e desfrutar novas realidades.

Cr & Ag

Durante quase trinta anos de minha vida passei Natais e Anos Novos dentro de hospitais e de plantões. Numa data ou em outra. Muitas vezes nas duas. Hoje minha filha segue essa mesma estrada de médica e cirurgiã. Sentimos a falta de estar com nossos familiares ou nossos amigos, mas somos privilegiados por estar na hora e no local em que podemos deixar nosso trabalho e nossa mensagem de amor ao ser humano como Aquele que veio para servir e não para ser servido. A enfermidade jamais marca hora e dia e a alegria está em ser médico que alivia as dores do corpo e da alma sofrida e fragilizada e tudo o que fazemos aos filhos dos outros, às esposas e mães dos outros estamos, na verdade, fazendo a nós mesmos e a quem amamos. Do guarda do estacionamento, à recepcionista, pessoal de enfermagem, pessoal da cozinha e da limpeza, enfim todo esse universo preparado para atender aos enfermos com amor e respeito e tendo consciência de seus limites e necessidades de sempre evoluir para melhor tratar.

Cr & Ag

São os plantões de maior carga de trabalho do ano. Em alguns locais, as equipes são reforçadas e sobre-avisos jamais dormem. Muitos por necessidade econômica ou de outra ordem, mas todos com a liberdade de estar ou não numa grade de plantão. Essa ideologia macabra e de certos sindicatos que proíbem o trabalho em certos dias, jamais deveriam usar os serviços de saúde, de bombeiros, de polícia e uma infinidade de pessoas que trabalham todas as horas de todos os dias para que o mundo seja melhor e mais justo. Nós podemos perdoá-los, mas a vida os ensinará. E a satisfação do dever cumprido ou de encontrar o familiar e imitando o clássico Noel num HoHoHoHo e num abraço noticiar que seu filho está muito bem, que a cirurgia da sua mãe correu “melhor impossível”, que sua esposa está reagindo e que todos os sinais vitais estão estabilizados, que o colega chamado passará a noite ao lado da sua irmã e certamente o parto será tudo normal – e foi!

Cr & Ag

HoHoHoHo! Abraço em sentimento cada um dos meus amigos e pacientes, das pessoas a quem amo e a quem amei, que mesmo sem poder tocá-las estão sempre comigo em amor e em ensinamentos e exemplos. Que o Noel de amor faça o que nossas dificuldades não conseguem vencer e numa prece silenciosa irradie-se Luz e Amor para todos a nossa volta, e num crescendo que vá atingindo cada um dos seres do planeta e do universo rompendo os grilhões do ódio e da dor, perdoando e sendo perdoado, amando e sendo amado. Muito obrigado e Feliz Natal!

Boas Festas - 2012 - 2013 A

Visite e colabore: Médicos sem Fronteiras – http://www.msf.org.br

Vida Estranha ou “Mentes Macabras”–Edson Olimpio Oliveira–Jornal Opinião–19 Dezembro 2012

 

2012 – 12 – 19 Dezembro 2012 – “Mentes macabras” – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

Vida estranha ou “Mentes macabras”

clip_image002

Era uma vez um sujeito que ia numa dessas lojas pet e comprava um cão. Dias depois lá estava ele e comprava um gato. Mais um tempo, voltava na loja e comprava mais um cão. Os donos da loja tratavam-no com a máxima distinção de cliente fiel e gastador. E as coisas iam nessa balada até que a balconista atreveu-se a perguntar, já muito desconfiada, o porquê de comprar tantos animais. O homem levantou a camisa e deixou a mostra um enorme revólver, ao que a moça tremeu as pernas, suou gelado e contraiu os esfíncteres. E com os dentes serrados e semblante de possuído pelo “demo”: – Para cada um que ela me trai eu enfio uma azeitona no bicho. Não mato ela, mas mato o bicho que ela se apega. – e continua sendo traído.

Cr & Ag

O mandachuva-raios-e-trovoadas da CEEE culpa o consumidor pelo caos da energia no Estado. Seu patrão, o governador Tarso, que deveria destituí-lo sumariamente, endossa suas palavras e assina ao lado. Segundo esses “expoentes” o cidadão é culpado por comprar ventilador, freezer, condicionador de ar e outros itens necessários ao bem estar do lar. E acrescentam que o cidadão tem a obrigação de comunicar a CEEE quando adquire esses bens e aumenta seu consumo de energia. Só falta o cidadão comunicar a CEEE que vai ao banheiro e vai acender a luz. É o absurdo na boca e nos pensamentos de quem deveria ter a mente clara e disciplinada. Quando Tarso venceu o pleito político escrevi que “era o homem certo para a hora e local certo”, recebi somente cutucões e dedos em riste. Confesso que errei até agora. Reconheci o erro quando Tarso Governador rasgou suas metas com a educação e agora parece ser o homem errado para o lugar certo.

Cr & Ag

Quer melhor negócio do que vender algo que todo mundo necessita e sem concorrência – assim é com a LUZ ou energia elétrica? No entanto a CEEE acha ruim. Se no poste defronte tua casa ou firma passassem LUZ de outras empresas você ainda compraria dessa estatal? Se há falta de energia no teu prédio ou empresa a CEEE te manda comprar um transformador e por firma credenciada colocar e receber pela tabela CEEE em desconto de perder de vista. Pode? Pode. Se a rede elétrica está em posição ruim em relação ao prédio, a CEEE manda que tu faças os devidos reparos por empresa credenciada por ela e receber um mínimo novamente a perder de vista. E assim é a balada da incompetência e da agressão ao bom senso e ao bolso do consumidor e do cidadão. Nunca vi direitos do consumidor e justiça coibirem esses abusos da CEEE. Gostaria de ver e noticiar.

Cr & Ag

Vários dias sem luz – lares e empresas. Nos lares sentimos diretamente na pele. Nas empresas com prazos para cumprir, folha salarial, impostos mil, clientes e eteceteras, dá para imaginar a catástrofe. E a culpa é sua – consumidor gaúcho! Não tem nada que ficar colocando empresa neste Estado, nem ficar comprando geladeira e ventilador e depois Deus ainda manda esses vendavais… O governo federal já culpa o cidadão que compra um carrinho e vai congestionar o trânsito das ruas e estradas e esses caminhoneiros que estão aí carregados e estragando as rodovias. Esse é o Rio Grande e o Brasil da cabeça cubana de vários governantes. Esse pessoal deve querer que vivamos como pessoas comuns de Cuba, pois quem é do poder tem do bom e do melhor e o resto trabalha com salário de 20 dólares por mês e vive em cortiços e na prostituição.

Cr & Ag

clip_image003Usei “mente macabra” da singular música de João de Almeida Neto – As razões do boca braba. Que sejamos os bocas-brabas e não entremos um novo Natal com a idiotia da submissão ou o aparvalhamento da ideologia fracassada. Essa enfermidade de culpar os outros de sua incompetência ou de sua visão distorcida é própria desse socialismo puído e despudorado que imaginava-se estar fenecendo. Eis que volta sempre culpando os outros e jamais assumindo suas responsabilidades.

HoHoHoHo! Como falta luz acenda velas! Se tiver luz, economize e desligue as luzes da árvore natalina, desligue ventiladores e ar condicionado e lembre-se de desligar a geladeira e o freezer, pois na economia de muitos sobrará energia nas metas do governo.Com velas e à luz da lua tudo é mais natural e romântico. Se o Noel trouxer computador ou qualquer coisa que gaste luz, ponha fora. Afinal, colabore!

Feliz Natal! Um abraço desse seu amigo cronista e do seu médico e cirurgião. Feliz Natal!