Dia do Médico – Onyx Lorenzoni –Deputado Federal – Mensagem especial – 18 Outubro 2013

 

Caro Médico (a)

O dia do médico é uma data especial. É momento de reconhecimento e de agradecimento a todos que, como você, se dedicam a cura e ao alívio do sofrimento que as enfermidades nos causam.

Imagino que, no atual momento, você receba com uma certa contrariedade uma comunicação de um político. No entanto, desejo manifestar novamente meu reconhecimento pela carreira médica e me associar à contrariedade com que o governo tem tratado a classe.

Reconheço com pesar que, justamente no momento em que a população pedia por mais e melhor saúde, o governo tenha respondido com um “placebo” eleitoreiro. A condução do governo para implantar o programa “mais médicos” é autoritária e desrespeitosa.

Não debateu o programa com os profissionais da medicina. Ignorou suas demandas, Desrespeitou e desautorizou os conselhos de regionais para anular o revalida e emitir o registro provisório. Mais grave, fomentou o preconceito contra os médicos e jogou a sociedade contra a categoria. Mesmo conhecendo a realidade, usou de seu gigantesco peso político e econômico para definir os médicos como sendo gananciosos e indiferentes.

Tudo isso é de lamentar e de protestar, mesmo em um dia que deveria ser de comemorações. Meu partido é contra todos esses desmandos. Esteve e continuará na defesa dos médicos e da saúde no Brasil. Combati o “mais médicos” em todas as minhas atividades e defendi o ato médico em plenário. O líder do Democratas na Câmara, Ronaldo Caiado, propôs projeto de lei para carreira de estado para médicos. O deputado Mandetta, também do meu partido, tornou-se conhecido aqui no estado pelas suas manifestações em defesa da medicina em vídeos que foram amplamente compartilhados nas redes sociais. Aqui no estado, criamos o Dem Saúde, sob o comando do também médico, Mauro Sparta. Todos esses parlamentares médicos continuarão a defesa dos verdadeiros interesses dos médicos: condições adequadas ao exercício da medicina como forma de assegurar uma saúde ampla e eficiente para todos sem distinção.

Lamento que a política tenha invadido sua atividade profissional. Você certamente preferiria se envolver com outros assuntos. No entanto, não há escolha, até que o cenário político mude, as interferências da política estarão presentes. Desejo que você possa comemorar o dia do médico com o legitimo reconhecimento de seus pacientes e da comunidade, que você seja feliz em uma carreira cheia de êxitos e que as instabilidades, por hora, criadas desapareçam definitivamente. Da minha parte seguirei lutando por isso.

Um forte abraço

Onyx Lorenzoni

Anúncios

Estelionatos – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 16 Outubro 2013

 

2013 – 10 – 16 Outubro 2013 – Estelionatos – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

Estelionatos

“Estelionato: ato de obter, para si ou para outrem, vantagem patrimonial ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo em erro alguém mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento.” Fonte – Dicionário Aurélio.

A editoria do Jornal Opinião resgata a memória do povo viamonense com os atos e promessas de governantes ou de aspirantes ao poder que não se realizaram. Ou jamais se realizariam. Esta crucial seção ainda não tem nome e leitores sugerem “Memória” ou “Estelionato do Voto”. Já ocorre entre os leitores conscientes e indignados um ranking de quem e de qual o partido é o campeão de mentiras, ilusionismo eleitoral e a tentativa deliberada de estelionato eleitoral. Ou como seria classificado quem promete ou anuncia com estrépito e pompa realizações sabidamente que seu governo não irá realizar?

Cr & Ag

E quem vem ponteando a artilharia? Até aqui a promessa reiterada do hospital e da usina de asfalto denotam capacidade “invejável” de faturar em proveito próprio. Sempre se acusa à escassa memória do eleitor em repetir seus erros e absurdos reelegendo as mesmas figurinhas viciadas no Executivo e no Legislativo. Perpetuam-se. E depois se queixam, mesmo sem lembrar em quem votaram na eleição anterior. E o casamento abjeto para a sociedade continua. Um chargista criou a imagem do “eleitor chifrudo” para caracterizar a traição premeditada do seu candidato. Chifrudo e manso. Tão mansinho que presenteia com sofá e cerveja ao seu candidato estelionatário. Ainda são figuras e metáforas com humor que bem retratam e espelham e cidadania violada, violentada e vilipendiada.

Cr & Ag

Uma anedota conta de “uma eleitora que foi à delegacia queixar-se de certo candidato que durante a campanha eleitoral foi a sua casa cinco vezes. Comeu seu bolo e sua ambrosia. Tomou seu café. Usou seu banheiro e a estuprou cinco vezes. Ao que o delegado espantado indagou: – por que somente agora a senhora veio queixar-se? A sua resposta: – é que ele tratou de voltar depois da eleição e não voltou mais!”.

Cr & Ag

Muitos eleitores fariam tudo que seus candidatos fazem se tivessem as mesmas oportunidades. Infelizmente. Vergonhosamente. Eis que nossas “lideranças” espelham a sociedade que os elegeu. Ou simplesmente os apoiou. E isso não é mera casualidade ou pruridos e cólicas da evolução social. Quando a impunidade grassa como a peste descontrolada, a educação de qualidade é uma quimera, a saúde é um pesadelo com os fantasmas escolhidos e marcados como culpados pelo governo, a segurança e a justiça pública privilegia e inventa caminhos para permitir ao criminoso ser “mais criminoso ainda” estamos diante de um projeto ideológico de “desconstruir” ou destruir para recomeçar das bases. As mesmas bases da ditadura cubana e do populismo ditatorial bolivariano – Venezuela, Equador, Bolívia e Argentina. Ou do império soviético e o estelionato nacional como a República Democrática (? – no absoluto comunismo) da Alemanha, antiga Alemanha Oriental e o poder bélico que subjugou povos e países. O grande poder do Mal está em fazer as pessoas pensarem no Diabo e no Inferno como simples fantasias. E principalmente em atribuir a sua culpa aos outros, sejam classes profissionais, países ou sistemas de vida. E de morte.

Rosto na Paisagem

Nem tudo é o que parece inicialmente.

9 pessoas

Encontre 9 pessoas nesta imagem.

 

Cupido ‘cumprido’ – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 09 Outubro 2013

 

2013 – 10 – 09 Outubro 2013 – Cupido ‘cumprido’ – Edson Olimpio Silva de Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

 

Cupido ‘cumprido’

E

is que mexi e remexi com os brios de muita gente com as constatações: – “A criatura pode ser feia, ter mau hálito e higiene comprometedora, atitude grosseira e egoísta, mas sempre haverá alguém para amá-la. Apesar de seus defeitos e tentar estoicamente melhorar, remediar, corrigir seu estado e comportamento.” Inclusive com os considerados ‘imexíveis’. Não pretendo invadir o território de Maio Vargas Llosa no livro “O perfeito idiota latino-americano”, mas como negar ou tangenciar a verdade se ‘cada pé torto encontrará um sapato torto’. Ou ‘para quem ama o feio bonito lhe parece’. Nem quero enveredar pelo poetinha Vinicius de Morais que entre outras profetizou: – “As feias que me peCupidordoem, mas beleza é fundamental.” A mitologia mostra-nos que o filho de Vênus é um serzinho alado e um arqueiro imprevisível. Os flechaços do Cupido perfuram os corações e ‘corassebos’ mais… digamos que mais, mais esquisitos. Quem sabe – mais surpreendentes?

Cr & Ag

Lembra daquela anedota gauchesca que um amigo diz para o outro entre um gole de cana e uma puxada no palheiro: – Mas tche, aquela rapariga além de feia como briga de foice no escuro ainda é renga dos cascos e tu vais te argolar… Ao que o outro arrematou de pronto: – Mas eu quero é pra tirar cria e não é pra corrida ou pra enfeite de estância! Que maravilha é o amor! Há coisa mais linda e sincera  do que amor banhado de feiura? Na Viamão Setembrina de algum tempo passado e lembrado por nós escutou-se num casamento: – “Ele pode ser feio como o demônio, mas é muito trabalhador e sério (N.C.: decente, correto).” Observem como uma legião de marias-chuteiras caçam craques do futebol. É claro que querem homens trabalhadores e nem importa se a boniteza passou ao longe. É o amor(com acorde musicais).

Cr & Ag

Línguas viperinas ferem insistindo que no passado os casais faziam amor, sexo ou procriavam na escuridão já para não se enxergarem numa época anterior ao Viagra. Deve ser maldade dessa gente! Era uma época que não havia luz elétrica, nem luz negra ou espelhos no teto. Tempos medievais. O mundo não era tão transparente. Era algo tipo mensalão – até existiu, mas ninguém viu nada e foi tudo pro caixa dois dos colchões, dos lençóis e dos edredons. O amor pode ser contraditório e até absurdo. E saindo da relação homem e mulher e outras alternativas explícitas ou não, há quem troque a mulher por uma motocicleta. Quem seja viúvo e ressuscite o fusca, como um ex-presidente de ‘amigas’ desprovidas de calcinhas. Outros – o amor ou a paixão pela ideologia é tanta que querem fazer do Brasil uma grande Cuba. E não é a ‘cuba libre’. Há quem ame e se entregue de voto e alma ao Sarney, ao Maluf e centenas de outros genéricos num espinhel sem fim de desgraças anunciadas.

Cr & Ag

Um conhecido está no quarto casamento oficial, excetuando aquelas situações do tipo ‘entre San Juan e Mendoza’, ‘é namorido’, ‘ainda estamos experimentando’, ´é test-drive de longa duração’, ‘se juntar de verdade estraga e desanda’. Mais – ‘ela tem os filhos dela e eu tenho os meus, então…’, ‘nessa idade a tesão é como carnaval’, ‘amor é como confiar no governo’, o antológico ‘tico-tico no fubá’, entre outras certezas e insalubridades. No futebol e no maior tribunal de um país de Vargas Llosa, o ‘técnico’ muda jogadores no decorrer da partida para que o resultado seja favorável a sua vontade ou de seu comandante supremo. Na vida e no amor não é bem assim. O que está bom ainda pode azedar se alguém pisar na bola. O que já está periclitante ainda pode piorar ou nada é tão ruim que não possa ficar ainda pior. Logo – deixe a criança algemada dentro de você sair e amar, pelo menos nesse Dia da Criança de 2013. E que seja um ‘13’ de muita sorte e cumprido como esperança de brasileiro.

Pombas beijando

Abraço

O Bode Expiatório 1, 2 e 3–Prof Ari Riboldi – 2013

Li! Gostei e recomendo aos amigos os livros do Professor Ari Riboldi que trata da origem dos nome e expressões principalmente associados a animais.

Edson

2013– Palavras Desavisadas de Tudo – Antologia – Edson Olimpio Oliveira – Corisco, Prego e Rosa . Um Natal em Viamão.

 

Capa Principal

Texto de Edson Olimpio Silva de Oliveira

 

A feiura de Viamão – Edson Olimpio Oliveira – Jornal Opinião – 02 Outubro 2013

 

2013 – 10 – 02 Outubro 2013 – A feiura de Viamão – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

 

A feiura de Viamão

N

o Jornal Opinião da semana passada escreveu-se sobre Viamão ser uma cidade feia. Outras ocasiões e textos, a mesma observação tem sido feita. Seria observação ou constatação? Esse tema é relevante em pessoas que olham a cidade com o coração e com a racionalidade do observador, mas ausente em muitos responsáveis e nos alienados de sempre. Como o leitor sente a “feiura de Viamão”? O cronista concorda com certas observações e lamentável realidade – Viamão está mais feia dia a dia ou sua feiura é agravada pelo comportamento de muitos viamonenses ou de pessoas excluídas da ética da cidadania ou responsabilidade social – num politicamente correto.

Cr & Ag

Ruas com piso deplorável. Passeios e calçadas ausentes ou quase intransitáveis enquanto uma fiscalização sectária exige e ameaça apenas nas ruas centrais. Pichadores infestam as ruas e sujam e destroem impunemente prédios, o que não se constata em muitas outras cidades. Propagandas sem qualquer disciplina ou bom senso seguem no rumo contrário das cidades, inclusive colossais metrópoles como São Paulo. Lixo depositado a margem de ruas e rodovias, basta a administração recolher várias caçambas para nos dias seguintes os lixões estarem refeitos. Um trânsito central que pode beirar a insanidade consentida, sendo a principal avenida uma pista de alta velocidade. Veículos de propaganda sonora abusiva e veículos de proprietários mais abusivos ainda ostentando sua ‘chinelagem’ sonora. Como o fundo do poço ainda tem subsolo ou o que está ruim ainda pode piorar, lojas colocam caixas de som nos passeios para aumentar o inferno para nossos tímpanos. E as construções irregulares invadindo o domínio público?

Cr & Ag

A criatura pode ser feia, ter mau hálito e higiene comprometedora, atitude grosseira e egoísta, mas sempre haverá alguém para amá-la. Apesar de seus defeitos e tentar estoicamente melhorar, remediar, corrigir seu estado e comportamento. Assim é a vida e assim são os relacionamentos. Estranhos? Por mais estranho que pareça há pessoas e cidadãos que poderiam estar em qualquer outro lugar para viver ou trabalhar, mas exercitam seu amor, seu suor e suas energias buscando tornar a sua vida e a dos outros melhor e com mais harmonia.

Cr & Ag

Mudando da mala pro saco – se São Pedro, aquele que possui as chaves do Céu, fosse o ministro Celso Mello do Supremo acaso teríamos os poderosos indo para o Inferno? Ou os camelos passariam com extrema facilidade pelo buraco da agulha? Outra inquietação – qual a proporção de brancos e poderosos nas cadeias em relação aos negros e pobres? Aguentam mais uma? Logo teremos brasileiros com um nome poderoso – ‘embargo infringente’ da silva?

Cr & Ag

Em tudo há um ‘porém’ ou um ‘mas’, ainda bem! E feiura tem solução, tanto nas cidades quantos nas gentes. E burrice? E irresponsabilidade? E egoísmo e ganância?

AVISO: Esta e as demais crônicas estão em www.edsonolimpio.com.br. Assim como imagens e outros textos desse autor.

IMG_0276

IMG_0279

Igreja Matriz

IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO