Médicos e medicinas – enviado por Adelaide Zavarize – 24 Fevereiro 2015

 

Eclesiástico 38, 1-15. Médicos e medicinas

“Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o Altíssimo quem o criou. (Toda a medicina provém de Deus), e ele recebe presentes do rei: a ciência do médico o eleva em honra; ele é admirado na presença dos grandes. O Senhor fez a terra produzir os  medicamentos: o homem sensato não os despreza. Uma espécie de madeira não adoçou o amargor da água?  Essa virtude chegou ao conhecimento dos homens. O Altíssimo deu-lhes a ciência da medicina para ser honrado em suas maravilhas; e delas se serve para acalmar as dores e curá-las; o farmacêutico faz misturas agradáveis, compõem unguentos úteis à saúde, e seu trabalho não terminará, até que a paz divina se estenda sobre a face da terra. Meu filho se estiver doente não te descuides de ti, mas ora ao Senhor, que te curará.  Afasta-te do pecado, reergue as mãos e purifica teu coração de todo o pecado. Oferece um incenso suave e uma lembrança de flor de farinha; faze a oblação de uma vítima gorda. Em seguida dá lugar ao médico, pois ele foi criado por Deus; que ele não te deixe, pois sua arte te é necessária. Virá um Tempo em que cairás nas mãos deles. E eles mesmos rogarão ao Senhor que mande por meio deles o alívio e a saúde (ao doente) segundo a finalidade de sua vida. Aquele que peca na presença daquele que o fez, cairá nas mãos do médico”.

Liberdade e Segurança – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – 03 Março 2015

 

2015 – 03 – 03 Março – Liberdade e Segurança – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas

 

Liberdade e Segurança

 

A

jude o cronista em algumas de suas angústias e incertezas. Posso sair do banco contando o dinheiro da minha aposentadoria? Posso deixar as janelas abertas do meu quarto e da minha casa nessas noites de calor terrível? Vou passear no Zoológico e posso dar uma comidinha na boca do leão depois de pular a grade da jaula? Posso estacionar e deixar a chave do carro na ignição enquanto compro no comércio? Posso assistir ao Grenal no meio da torcida organizada do Grêmio com a bandeira do Internacional e fardado com a camiseta colorada? Se o querido amigo e colega psiquiatra Guilhermano escutasse ou lesse essas intenções do cronista, ficaria, no mínimo, preocupado com minha sanidade física e mental. Mas eu bradaria aos quatro ventos – E a minha liberdade? Onde fica a minha liberdade individual? Onde fica o respeito que devem pelo ser humano e cidadão ex-eleitor da Dilma e do Lula?

 

Cr & Ag

 

Várias ocasiões escuto e observo pela TV os casos de mulheres molestadas nos ônibus e nos metrôs. Ou até nos lugares mais variados como shopping centers. A imensa maioria queixa-se do machismo da sociedade. “Os homens não respeitam!” – acusam. Eventualmente algum repórter alude ao “detalhe” da roupa que usam. Isso somente aumenta a indignação. “Eu tenho direito de me vestir como quiser” – explodem. Antes que algum lerdo mental acuse o cronista de defender ou atenuar a culpa do bolinador, assediador, meliante, insistimos na tecla de que a criatura avalie o local onde está e os riscos de sua conduta naquele local. Se eu andasse de moto a 150 km/h sem capacete e bailando entre os carros, isso seria conduta de risco? Correto?

 

Cr & Ag

 

Se você vai a uma festa, sua indumentária será conforme o evento. Se você trabalha numa metalúrgica, proteja-se dos riscos do seu trabalho. Alguém duvida de que vivemos numa sociedade predatória (veja a roubalheira da Petrobrás) e sem segurança real e não a imaginada pelo governo socialista que desarmou o cidadão honesto? A nossa conduta será proporcional ao risco que estaremos expostos. Se a pessoa expõe seu corpo aludindo sua liberdade e exige que o meio ambiente viva e comporte-se pelas suas regras estará sempre exposta, sujeita ao predador mais próximo. Há diversos estudos que mostram que a criatura adota conduta de risco por vontade consciente ou inconsciente. Nada disso absolve ou exime de responsabilidade ou culpa o leão que arrancou o braço do homem ou devorou a criança, mas as feras humanas podem ser mais ardilosas e sua estratégia de posse e destruição bem mais elaborada.

 

Cr & Ag

 

A culpa do sujeito dirigindo bêbado é da autoridade ausente, omissa ou ineficiente. Mas também do bêbado que assume ao volante todos os riscos de seus atos. Nós família temos a obrigação de orientar e até exigir de nossos filhos e netos que aprendam a cuidar-se e evitar situações que possam ser agredidos, injuriados ou até o pior. Mas a pessoa adulta também tem a obrigação principal de saber o mundo em que vive, entender os riscos do local onde transita, trabalha ou se diverte e se mesmo assim não adotar conduta de autopreservação, parte da responsabilidade do que lhe acontecer é sua. Muito sua.

 

Velocidade abusiva.

 

O excesso de velocidade na avenida principal para acesso ao centro de Viamão é escancarado, anormal e criminosa. Veículos pesados como ônibus e caminhões – assustador. Deus é viamonense, senão teríamos mortes diárias ou semanais… A esperança de autoridades atuantes é quase nula. Vejam o som abusivo dos veículos e das lojas! Ou a pichação! E a velocidade, Deus ainda salva!

Flamingos apaixonados

O Amor entre flamingos desenha um coração!