Carta Aberta à Secretária de Saúde de Viamão – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – 01 Setembro 2015.

 

2015 – 09 – 01 Setembro – Medicamentos, Carta Aberta ao Secretário de Saúde de Viamão – Edson Olimpio Oliveira – Crônicas & Agudas – Jornal Opinião

 

Carta Aberta à Secretária de Saúde de Viamão.

 

Cara Gestora

Sandra Sperotto

Secretária de Saúde

Município de Viamão.

 

Referente: medicamentos denominados de “Amostras Grátis” distribuídos pela indústria farmacêutica nos consultórios e ambulatórios médicos; medicamentos entregues por pacientes ou familiares por mudança de tratamento ou outros fatores, mas em perfeitas condições de uso.

 

Sou atualmente o Médico viamonense com maior tempo de vida profissional contínua aqui na minha cidade natal e tenho ao longo desses mais de 40 anos de atividade recolhido os medicamentos distribuídos pela indústria farmacêutica através da visitação de seus propagandistas e representantes com o objetivo de beneficiar aos pacientes. E principalmente aos mais necessitados. É consciência geral que as deficiências generalizadas da saúde pública brasileira precisam contar com as medidas clássicas e convencionais assim como a implementação de novas atitudes que viabilizem tratamentos mais eficientes e universais. Durante os anos em que trabalhei na Unidade Sanitária, Rua José Garibaldi, por solicitação pessoal do Prefeito da época e por cedência do Ministério da Saúde, trazia ao posto vários medicamentos necessários para variadas especialidades clínicas até que a chefia da unidade acusou “ordem superior para não receber ou distribuir amostras grátis”. Constata-se que em consultórios e clínicas de Viamão grandes sacos de amostras grátis são mensalmente encaminhados para descarte sem nenhum benefício aos necessitados. Já entreguei para vereadores vindos pelo Jornal Opinião muitas amostras grátis que beneficiaram sua assistência comunitária em consultórios não visitados pela indústria. Os próprios pacientes e seus familiares retornam para o consultório os medicamentos não utilizados e até recebidos nas Unidades Sanitárias. É amplamente conhecida a dificuldade em repor e ampliar estoques e tipos de medicamentos.

 

Pergunto-lhe Cara Secretária! Há como a Secretária de Saúde absorver os medicamentos recebidos em absoluta gratuidade e redistribuí-los aos cidadãos viamonenses como já é praxe em vários municípios brasileiros, segundo a grande mídia? Se positivo, como fazer para que esses medicamentos tenham um melhor e mais digno destino? Se negativo, há projeto definido para que os cidadãos viamonenses, principalmente aos mais carentes, sejam beneficiados com aqueles de medicamentos? Acredito que com a conscientização e participação dos médicos, demais profissionais da saúde e de seus colaboradores teremos uma nova fonte de medicamentos aos viamonenses. Igualmente importante é o florescer, crescer e expandir a consciência das pessoas em participar, contribuir e dividir o que lhe sobra com os necessitados e auxiliar os serviços públicos.

 

Sendo tema importante e de grande necessidade social, a melhor e mais digna assistência aos enfermos e necessitados, certamente nenhuma bandeira política ou ideológica seria contrária ao enfermo, essa coluna estará aberta para sua resposta. Estaremos igualmente conscientes das manifestações dos representantes do povo no Poder Legislativo e da Chefia do Poder Executivo.

 

Agradeço a atenção!

Aguardo!

Saudações!

 

Edson Olimpio Silva de Oliveira – Cremers 7720

Viamonense – Médico – Escritor – Cronista do Jornal Opinião

 

clip_image002

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: